Sinopse: Naquele que seria o dia mais decisivo da sua vida, Mary - filha de humildes pescadores d
a Cornualha - traçou o seu destino ao roubar um chapéu. 
O seu castigo: a forca. 
A sua única alternativa: recomeçar a vida no outro lado do mundo. 
Dividida entre o sonho de começar de novo e o terror de não sobreviver a tão dura viagem, Mary ruma à Austrália, à época de uma colónia de condenados. O novo continente revala-se um enorme desafio onde tudo é desconhecido...como desconhecida é a assombrosa sensação de encontrar o grande amor da sua vida. Apaixonada, Mary vai bater-se pelos seus sonhos sem reservas ou hesitações. E a sua luta ficará para sempre inscrita na História.

Opinião: Antes de mais, começo por dizer que, tanto a capa do livro, como a sinopse, não fazem justiça ao conteúdo do livro. Tanto um como outro incitam o leitor a pensar que está perante um romance, mais uma história de amor no meio de mil, passados em tempos conturbados; dois amantes separados pelos infortúnios do destino. Desenganem-se. Nunca me Esqueças é um livro baseado na história verídica de Mary Broad, uma rapariga de origens humildes, condenada à forca por roubar um chapéu mas rapidamente deportada a Nova Gales do Sul ou, noutras palavras, para o que hoje é conhecido como sendo a Austrália. Nunca me Esqueças relata o pior período da vida de Mary, ao mesmo tempo que conta a história do nascimento da Austrália. Os dois estão intimamente interligados e houve alturas em que desejei que os factos que a autora atirava sobre as condições de vida dos prisioneiros fossem pura ficção.

Ler Mais